7 min read 

As velas não são apenas um tipo de gráfico popular. Elas também podem ser usadas como uma ferramenta de análise técnica extremamente útil e versátil. Ao recorrer a elas, você poderá descobrir uma oportunidade antes que ela apareça, o que é sempre bom. Leia o artigo completo para obter uma compreensão mais profunda dos padrões de velas e das complexidades de seu uso prático.

4 dicas

Muitos traders consideram as velas o seu tipo de gráfico preferido e por uma boa razão. Independentemente do ativo, as velas trazem o gráfico para a vida de uma forma que torna a batalha entre altas e baixas emocionante de se assistir. No entanto, embora elas forneçam uma visão clara do mercado e sinais valiosos, nem sempre os padrões de velas são fáceis de ler. Uma vela de baixa pode aparecer em qualquer ponto de um mercado de alta e vice-versa. Isso é algo para o qual você deve estar preparado e pronto para agir. Portanto, vamos às quatro dicas.

1. Conheça as suas velas

Na negociação, como na vida, você deve entender completamente a ferramenta que está prestes a usar. As velas não são uma exceção. A primeira regra diz: conheça as suas velas. Você deve ser capaz de distinguir entre velas de baixa e alta, um doji e um martelo, mas ainda há mais. Você deve entender a natureza das velas que aparecem no mercado enquanto você negocia. Todo ativo é diferente, assim como todo gráfico, por isso faz sentido que todas as velas também sejam diferentes.

Uma vela longa em um mercado pode ser considerada apenas média em outro. Se você trabalha com o EUR, USD ou JPY, você deve saber a diferença entre uma vela longa e uma média, bem como uma vela forte e uma insignificante. Uma vela média é formada em um dia comum, velas fortes aparecem durante períodos de alto volume de negociação e alta volatilidade que, juntos, marcam os principais movimentos do mercado.

Encontre a diferença entre as configurações 1 e 2. Qual delas é a mais importante?

2. Conheça seus sinais

Quando você conhece suas velas, você deve direcionar sua atenção para os sinais que elas fornecem. Um sinal é um mero sinal até que seja forte: então, você deve agir de acordo com ele. Comece aprendendo o que faz um bom sinal. Entenda que um sinal é considerado confiável apenas quando as velas são maiores que o normal, têm sombras mais longas que o normal ou as duas coisas.

Velas médias não são bons indicadores de reversão de tendência

3. Relatividade é tudo

Os sinais de velas podem aparecer em qualquer nível de preço. Um sinal forte geralmente se forma perto de um nível de suporte ou resistência importante. As linhas de suporte e resistência não são aleatórias, elas aparecem nos níveis de preços nos quais os compradores ou vendedores têm maior probabilidade de entrar no mercado. Portanto, você deve estar atento a essas linhas.

Quando um sinal é detectado próximo a um desses níveis, tente definir o tipo de sinal recebido. Ele é um sinal de alta, baixa, continuação ou reversão? Uma vela de alta que vai acima da linha de resistência é um sinal de um mercado de alta, mas, ao mesmo tempo, pode não levar a uma continuação se se formar durante uma tendência de baixa. Tenha sempre em mente que o contexto é tudo.

Um nível de suporte é usado para desafiar uma reversão de tendência falsa

4. Aguarde o fechamento

Uma das coisas mais importantes sobre o uso de velas é esperar que elas fechem. Lembre-se de que o que você vê à sua frente não é um sinal até a vela ser fechada e uma confirmação ser recebida. As estrelas cadentes doji com perna longa começam como velas fortes, de alta, mas não terminam como elas. Esperar pelo fechamento às vezes significa que você precisa esperar até o dia seguinte (e não há nada de errado nisso). Quando os preços estão próximos do ou no suporte/resistência, uma vela longa e forte pode se formar e pode parecer uma continuação, mas se a próxima vela se mostrar menor dentro do corpo da primeira (conhecida como Harami), uma reversão se torna mais provável. Certifique-se de que a vela fechou antes de tomar outras medidas.

À plataforma