6 min read 

2020 foi um ano de desafios inesperados para todos. A sociedade teve que se adaptar rapidamente às novas normas, e a incerteza, que foi extrema nos meses de março e abril, ainda perdura enquanto aguardamos a vacina e tememos novas restrições.

O mercado de negociação é um reflexo do estado do mundo. A combinação de vários eventos causou forte volatilidade, e os altos e baixos do mercado não apenas criaram oportunidades e riscos para os investidores, mas também atraíram muitos recém-chegados ao mundo da negociação e do investimento. Como o ano está chegando ao fim, vamos lembrar alguns dos principais eventos que abalaram o mercado profundamente.

COVID-19

O principal evento do ano do qual todos estão lutando para se recuperar é a pandemia que por vários meses colocou o mundo inteiro em uma pausa. Medidas de confinamento e restrições associadas fizeram com que muitos negócios fechassem, e a maioria dos setores continua sofrendo uma séria queda no lucro. Em março e abril, a indústria do turismo, os negócios de restaurantes, bem como as indústrias de varejo e cinema, foram fortemente impactados pela situação e continuam a sofrer perdas com a renovação das restrições.

O aumento das taxas de desemprego e a escassez de oferta devido à redução da produção são algumas das consequências de longo prazo que podem persistir por mais tempo, dependendo das medidas a serem tomadas em 2021.

Para o mercado de negociação, a pandemia se reflete na forte queda das ações em fevereiro e março de 2020 e forte volatilidade nos meses seguintes. A incerteza ainda não foi resolvida, pois os testes das vacinas contra o novo coronavírus ainda não foram concluídos, o que deixa no ar a possibilidade de novas flutuações de preço.

OPEP+

O petróleo acompanhou as ações: a queda da aliança em abril, a briga relativa a cortes de produção entre os produtores e a baixa demanda por petróleo, decorrente da pandemia causada pelo novo coronavírus, provocaram forte queda de seu preço. No final de abril, o petróleo WTI atingiu uma baixa recorde de -37,63. De lá para cá, os produtores conseguiram acertar cortes de produção para manter o preço do petróleo mais alto.

A indústria do petróleo tem lutado ao longo do ano e, embora os preços do petróleo tenham voltado a subir, ainda não atingiram os níveis pré-coronavírus. Atualmente, o petróleo WTI é negociado a 48,3, enquanto o petróleo Brent se mantém em torno da marca de 51,5.

Eleição presidencial dos EUA

Nenhuma outra eleição presidencial recebe tanta atenção da mídia quanto a dos Estados Unidos. É natural, os eventos políticos da maior economia do mundo influenciam muito mais do que apenas seus próprios assuntos internos. O vencedor da eleição consegue liderar o país, uma superpotência militar, por quatro anos e muitas coisas vão depender da abordagem política do novo presidente.

A vitória do candidato democrata causou uma alta temporária nas ações europeias e estimulou algum crescimento do mercado chinês, uma reação à política internacional mais branda do novo presidente. Embora muitos concordem que a vitória de Biden pode ter uma influência positiva sobre as ações asiáticas, alguns argumentam que a política comercial estabelecida pelo presidente Trump não será drasticamente alterada.

O que está por vir?

2020 foi um ano de muitas mudanças na realidade a que estávamos acostumados. O mercado de negociação é um reflexo dos acontecimentos e ainda não está claro o que 2021 trará. Porém, uma coisa é certa: as crises econômicas criam muitas oportunidades para quem acompanha o mercado de perto. No entanto, os riscos que surgem devido à crise econômica também devem ser considerados. Os traders que desejam se preparar para 2021 podem acompanhar as notícias de perto e melhorar suas habilidades de análise técnica.

Negocie agora