7 min read 

Uma grande reversão nas moedas está acontecendo agora mesmo; O plano de impostos de Trump está movimentando o dólar.

Uma Fed Agressiva e Estímulos Econômicos Levantam o Dólar

Os comentários feitos pela presidente da Federal Reserve Open Market Committee, Janet Yellen, levaram o dólar à alta do mês. As notícias de Washington hoje o colocaram ainda mais para cima com o estímulo que dessa vez está focado na mudança legislativa versus política do banco central. Os comentários de Yellen sobre o efeito da Fed ter menosprezado a inflação e o desemprego provocaram um solavanco no mercado, já que a escalada dos juros saltou em quase 10%. O plano de impostos de Trump, que vazou nas primeiras horas da manhã, colaborou para isso, pois a administração está dando um passo em direção ao pacote econômico prometido durante a campanha.

O plano traçado pelos “Big 6” foca em reduzir impostos para negócios e indivíduos, mas ainda enfrente forte oposição por parte dos Democratas e críticas de economistas. Os democratas estão focados em taxas para grandes negócios e fortunas, aparentemente em desacordo com a proposta de reduzir taxas para a classe média, assim como outras lacunas que os ricos poderiam usar para se aproveitarem das taxas mais baixas. Apesar da oposição, há grande suporte entre os republicanos. A dedução sobre os juros de hipoteca foi deixada de lado, para a satisfação dos proprietários de imóveis, foram removidos os impostos locais e estaduais. Indo contra isso, a dedução padrão foi dobrada, junto com um aumento no crédito de imposto por dependente.

Outra grande crítica é como o plano será financiado, pois seu custo está estimado em $1 trilhão em repasses. Até agora, os detalhes são vagos, mas há uma expectativa de dentro da administração que os cortes basicamente se pagaram por conta própria. A ideia é que o corte de impostos vai liberar dinheiro no sistema, permitir que os negócios e os investidores tenham mais dinheiro e levar ao aumento da atividade econômica.

O Índice do Dólar aumentou seus ganhos semanais por causa das boas notícias em dose dupla. O EUR/USD aumentou sua queda de uma resistência de longo prazo em 1.2000 para ser negociado na baixa de 1 mês próximo aos 1.7250. O movimento também se estendeu para uma quebra de uma grande tendência de alta e agora está se aproximando do suporte e alvo em potencial. Os indicadores mostram queda, se movendo para baixo e convergindo com a nova baixa, sugerindo que os preços vão continuar a cair, ao menos num futuro próximo. A linha de suporte está logo ali, a 1.6750, e uma quebra para baixo significaria queda a longo prazo.

EUR/USD

O USD/JPY ganhou aproximadamente um ponto inteiro seguindo os comentários de Yellen e o anúncio do plano de impostos. O par criou uma vela de alta média/longa confirmando a continuidade dos indicadores de alta. Uma continuação desse movimento pode encontrar a resistência do trading de curto prazo próximo aos 114.50.

USD/JPY

O próximo obstáculo para o dólar atravessar serão os dados de Personal Income and Spending e Core PCE Prices na sexta-feira. Esses dados são a medida preferida da Fed para a inflação e podem dar mais dicas sobre as expectativas pela frente e sobre o tempo da escalada de juros. Até agora, o PCE e o core PCE estão correndo a uma taxa mais baixa do que a meta de 2% da FOMC, apesar de uma breve oscilada para acima de 2% este ano. O que os traders precisam se preocupar é com os preços do petróleo, um pico na inflação este ano coincidiu com um pico nos preços do petróleo, e eles estão se encaminhando para atingir aqueles mesmos níveis. Qualquer aumento no PCE, junto com o estímulo econômico do plano de impostos de Trump, vai provavelmente empurrar o dólar ainda mais para cima em relação às outras moedas do mundo.

Negocie aqui