Tags:
13 min read 

Desde o seu surgimento, em 2009, e de sua popularização por volta de 2011, o mercado do bitcoin tem sido um fenômeno/oportunidade global de investimento que inspirou tanto empolgação, quanto suspeitas. Posso afirmar precisamente o mesmo sobre todas as outras criptomoedas.

Mas uma nova geração de empreendedores aficionados por tecnologia – que talvez, justificavelmente, temam todas as tentativas de governos de regular um mercado online verdadeiramente livre e completamente acessível – abraçou essa empolgante oportunidade de investimento, enquanto as instituições financeiras mais tradicionais olhavam cautelosamente para toda tecnologia cripto e de blockchain com claras suspeitas. De fato, a especulação selvagem que continua a girar ao redor de quase todas as criptomoedas, assim como os ciclos de boom/bust fora de controle desta instável “oportunidade” de investimento, apenas fez com que os investidores tradicionais se afastassem com ainda mais cautela.

Meu Caso em Questão: A queda brusca do bitcoin na semana passada, seguindo a primeira negociação de futuros em bitcoin da CBOE

O Fator CBOE

CBOEApesar do bitcoin ser indubitavelmente a cripto mais conhecida, – com sua plataforma de corretagem e carteiras atualmente servindo mais de 13 milhões de usuários ativos – seus preços sempre foram simultaneamente imprevisíveis e voláteis. O exemplo mais recente e alarmante ocorreu nas primeiras 3 semanas de janeiro, quando os preços do bitcoin cresceram de $14,000 para $17,000 antes de despencarem brevemente para $9,000 no dia 17 de janeiro. Como se estivesse reforçando sua própria volatilidade, enquanto escrevemos isso, os preços agora escalaram de volta ao território dos 5 dígitos (no dia 27 de janeiro – $11,414).

E para ampliar mais esse ponto, a queda do dia 17 de janeiro não foi particularmente incomum com a moeda tendo decaído em 25% no meio de novembro, e depois se recuperado, e depois caindo novamente em até 30% no meio de dezembro. Talvez seja ainda mais perturbador para os investidores tradicionais o fato de além do bitcoin, outras criptomoedas também terem caído na última terça-feira. O ethereum – a segunda maior em capitalização depois do bitcoin – teve uma queda de 23%.

Considerando essa cratera generalizada no mercado cripto, junto com o tamanho da queda brusca que o bitcoin sofreu na semana passada, muitos investidores suspeitam que a relação simbiótica entre o mercado global de contratos futuros recém-estabelecido na CBOE e o lugar mais antigo do mercado do bitcoin pode ter sido um fator importante na queda.

Primeiro, vamos nos aprofundar no contexto/detalhes em relação à negociação da CBOE

  • Os contratos futuros de bitcoin foram negociados na CBOE desde seu lançamento em 10 de dezembro de 2017, e estavam programados para expirar na última quarta-feira, dia 17, um prazo/processo, que frequentemente pode levar a um trading volátil.
  • Os mercados globais de contratos futuros na CBOE cobriram uma única bitcoin com o contrato inicial. Na data da liquidação final, o horário de negociação expirou às 15:45 EST, com os futuros então colocados num “estado fechado” designado um segundo antes do tempo de expiração.
  • Toda e qualquer operação que o sistema CBOE tenha deixado de combinar ou processar antes daquele tempo foi, subsequentemente, recusada.
  • O valor da liquidação final da expiração do contrato de futuros de bitcoin foi o preço oficial de leilão, decidido às 16:00 EST, para o preço spot naquele dia. Em 17 de Janeiro, esse preço foi fechado em $10,900.
  • Os futuros foram liquidados em dinheiro, o que significa que nenhum bitcoin realmente trocou de mãos.
  • Ao invés disso, investidores que compraram bitcoins futuros acabaram com um lucro líquido ou um prejuízo líquido determinado pela quantidade exata na qual o preço spot subiu ou desceu em relação a quando eles compraram seus contratos futuros. Investidores que venderam bitcoins futuros, no entanto, ganharam um lucro líquido se o preço do bitcoin caiu desde a venda, ou levaram prejuízo se o preço do bitcoin subiu neste meio tempo.

Para mim, uma das chaves aqui é que em até negociações tradicionais de futuros, com um prazo de expiração iminente que se aproxima, normalmente foi, senão a causa, pelo menos causou o subproduto de negociações cowboy selvagens.

Na negociação de bitcoin futuro, por exemplo: em 16 de janeiro, compradores (venda em aproximadamente $13,000), levaram uma surra no fechamento do mercado; enquanto em 16 de janeiro, vendedores ganharam no fechamento do mercado (saída em $10,900). Os futuros “apostados” aqui requereram uma pesquisa bem afiada em relação ao bitcoin, e um pouco de sorte para fazer a aposta valer a pena.

O que a Recente Queda do Bitcoin Significa para o Mercado

Mas eu, por exemplo, não acredito que a negociação CBOE foi a causa direta do mergulho geral do preço do bitcoin. Na verdade, eu vejo apenas como um dos fatores que contribuíram para tal.

Outros fatores contribuintes:

  • O declínio da última semana também seguiu repressões dos governos da Coréia do Sul (um dos arautos da negociação de criptomoedas) e da China (onde os ativos de criptomoeda são uma força popular) em regulação de negociações online.
  • Também na semana passada, autoridades chinesas determinaram que um número de grandes operações domésticas de mineradoras de bitcoin fechem, baniram ICOs para o mesmo, e bloquearam/baniram um número de sites de transação de criptomoedas online, baseadas em países estrangeiros.

O poder e a influência de ambos mercados de crypto, Sul-Coreano e Chinês, não podem ser exagerados aqui. Toda e qualquer tentativa de extensa regulação governamental certamente reduz o anonimato de transações em bitcoin, e pode, portanto, realmente ser um fator significante na eliminação de uma grande variedade de atrativos da negociação em criptomoeda, tanto para entusiastas do bitcoin quanto para os, já sensíveis, investidores mundiais.

Os movimentos regulatórios mais estritos da Coréia do Sul – e, especialmente, a dura crypto-repressão dentro da 2ª maior economia do mundo – imediatamente anterior ao CBOE da negociação de futuros, indubitavelmente tiveram, no mínimo, algum impacto direto no entusiasmo do investidor.

Além do mais, ajustes à tecnologia por trás do bitcoin, como o Segregated Witness – um update que permite um número significantemente maior de transações por minuto ser processado – reduz custos de transação caros e, à medida que o tempo passa e sua credibilidade aumenta, pode também reduzir a volatilidade do mercado à um grau mais confiável.

Conclusão

Parece provável que se o bitcoin futuro continuar a crescer em popularidade, as condições podem mudar e o bitcoin futuro pode começar a ter uma influência maior no mercado on-the-spot. Pelo menos por enquanto, no entanto, fatores instáveis como liquidação em dinheiro, a influência chinesa e o relativamente baixo nível de interesse de investidores, ainda não empurraram o bitcoin futuro nos interesses da negociação convencional. A não ser, ou até, que o bitcoin possa confiavelmente solidificar seus problemas de liquidificação, resolver seu quebra-cabeças chinês e/ou despertar uma maior confiança do investidor, o mercado de bitcoin futuro estará, certamente, à mercê de qualquer coisa que os negociadores do mercado direto de criptomoedas fizerem.

Como resultado, o preço do bitcoin vai continuar flutuando drasticamente e o estabelecimento negociador tradicional continuará a esquivar-se.

Nas palavras do mais tradicional vidente financeiro, “O Oráculo de Omaha” em pessoa, Warren Buffet (CEO do Berkshire Hathaway), em 10 de janeiro, anteriormente à negociação:

“Em termos de criptomoeda, em geral, eu posso dizer com quase toda a certeza que elas vão acabar com um péssimo final… Se eu pudesse comprar uma opção de venda de 5 anos em cada uma das criptomoedas, eu estaria feliz em fazê-lo, mas eu nunca venderia um centavo.”

O Bitcoin certamente pode ter um futuro lucrativo, mas bolsos fundos e olhos afiados no preço spot do bitcoin serão absolutamente necessários se você quiser acabar no preto.

Negocie aqui