3 min read 

No período das mínimas taxas de refinanciamento entre as economias líderes do mundo a tarefa da aceleração da inflação sai para o primeiro plano. Os representantes do Banco Central Europeio já baixaram as taxas até 0, que parcialmente teve a influência positiva à inflação, que passo a passo começa a crescer.

A inflação na Zona Euro fica a 0 e até um pequeno crescimento vai influir positivamente ao valor da moeda europeia comum:

image02

..na semana passada foram publicados mais 2 relatórios, que influem diretamente ao nível da inflação. O primeiro é o índice de preços de produtor, os resultados do qual fica 2 vezes melhor do que esperavam:

image10

..e o índice de vendas a retalho, que fica no bom nível:

image11

Nos Estados Unidos a situação é um pouco melhor, porém a inflação ainda fica muito menos os índices planejados:

image06

Se a inflação na Zona Euro ou nos Estados Unidos vai ser mais alta do esperado – isso terá a influência positiva à moeda nacional.

Na semana passada nos Estados Unidos foram publicadas os dados do mercado de trabalho inclusive o relatório mais popular do mês – NonFarm. Parece que os representantes do bureau de estatísticas confundiram os dados de 2 meses passados e depois dos índices muito baixos do mês passado a quantidade de novos postos de trabalho fora do setor agricultor voou até o céu, e o nível do desemprego ao contrário caiu. Provavelmente será mais correto orientar-se nos índices médios de 2 meses:

image09

O gráfico EURUSD:

image04

 

No gráfico EURUSD D1 continua a tendência descendente, que se confirma com os indicadores do análise técnico ‘Aligator’ e ‘Oscillator Maravilhoso’. Principalmente a duração da tendência descendente vai depender da situação ligada com a saída da Inglaterra da União Europeia.